Notícias

MORTE DE PERSONAL, Prima relata “saúde perfeita” e diz que família está desolada

Publicado em 26 de abril de 2021

Prima relata “saúde perfeita” e diz que família está desolada

Helen Christy Carvalho Dias Lesco, de 42 anos, morreu no domingo à noite no Hospital São Mateus

A personal trainer Helen Christy Carvalho Dias Lesco, de 42 anos, que morreu na noite de domingo
BRUNA BARBOSA
DA REDAÇÃO

Na última semana, a personal trainer Helen Christy Carvalho Dias Lesco, de 42 anos, visitou os familiares em Alto Araguaia (a 456 km de Cuiabá), que não notaram nenhum problema de saúde aparente.

Helen morreu na noite desse domingo (25), após infarto fulminante na casa onde morava, na Capital.

Ela era casada com o coronel e ex-chefe da Casa Militar Evandro Lesco. Ambos haviam sido presos durante as investigações da chamada “Grampolândia Pantaneira”.

De acordo com Josiane Dias, prima de Helen, a personal viajou para Alto Araguaia na última quarta (21), para aproveitar o feriado com os familiares.

“Passou os dias bem. Tomamos caldo na quinta à noite, porque estava friozinho. Ela estava normal. Sábado foi ao salão arrumar o cabelo para trabalhar na segunda. Foi tomar banho de rio, que era o que ela amava aqui na cidade”, lembrou.

Josiane explicou que a personal mantinha os exames em dia, além da rotina saudável.

“Se cuidava até demais, inclusive os médicos dela eram também amigos pessoais. Todos estamos tão assustados quanto vocês por causa desse infarto… em uma pessoa tão saudável. Tinha saúde perfeita”, disse.

Helen estava em casa com o pai e o marido quando começou a passar mal. Eles tentaram reanimá-la durante o trajeto entre a casa e o Hospital São Mateus, onde foi atendida, mas a personal acabou não resistindo.

“Estão desolados. O pai e ela viviam um para o outro, o marido também. Não sei como será a vida deles sem ela, porque ambos viviam para ela e por ela”, lamentou.

Uso de medicamentos para depressão 

No hospital, o coronel Evandro contou aos policiais que há cerca de 3 anos a esposa fazia uso de remédios para tratamento de depressão e, também, para ajudar a dormir.

Josiane explicou que após a prisão durante a “Grampolândia Pantaneira”, Helen precisou recorrer aos medicamentos.

Reprodução

Helen Lesco

Foto foi tirada enquanto Helen esteve em Alto Araguaia com a família

“Ela nunca mais foi a mesma pessoa, pois ficaram muitos traumas”, disse a prima.

Questionado pelos policiais se a esposa fazia uso de drogas ilícitas, Lesco negou.

O corpo de Helen foi sepultado às 17h.

“Fardo pesado”

Nas redes sociais, o irmão da personal também lamentou a morte.

Na publicação, o defensor público João Paulo Dias escreveu que o “fardo pesado dos últimos cinco anos” carregado por Helen, agora se faria “leve nas mãos do Criador”.

“A cada reencontro sabia que estava te perdendo. A dor acentuava e machucava a sua alma. Você demonstrava ser forte e foi muito mais do que eu imaginava. Pena que mesmo com o óculos da empatia nunca exergávamos o motivo da sua real desilusão”, diz trecho da publicação.

No post, João Paulo ressaltou que a irmã será lembrada pela força e coragem. Ele afirmou que o Araguaia era o “santuário predileto” da personal.

“Ontem você se despediu do Araguaia, nosso santuário predileto. Acordei com sua mensagem: ‘mano, a Kiara conheceu o Rio Boiadeiro”, lembrou.

 


Baixe o APP da Rádio 93

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.