Notícias

Homem é preso suspeito de se passar por antenista para furtar mais de 40 idosos

Publicado em 09 de dezembro de 2021

Um homem que se passava por antenista foi preso, na manhã desta quinta-feira (9), suspeito de aplicar golpes em mais de 40 idosos de pelos menos 29 cidades de Goiás. Segundo a Polícia Civil, ele entrava na casa das vítimas, se passava por técnico de manutenção em antenas, ganhava a confiança dos moradores para, posteriormente, furtar o cartão bancário deles.

g1 não conseguiu localizar a defesa do investigado para que pudesse se posicionar sobre o caso. Até às 9h desta quinta-feira, ele ainda não havia sido interrogado.

Adefânio Luz Noleto, de 30 anos, teve o mandado de prisão preventiva cumprido durante a operação “Frequência do Mau”, que também apreendeu celulares, cartões, uma moto de alto padrão e um carro na casa dele, no Setor Veredas dos Buritis, em Goiânia.

Adefânio Luz Noleto foi preso suspeito de furtar mais de 40 idosos em Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Adefânio Luz Noleto foi preso suspeito de furtar mais de 40 idosos em Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil

De acordo com o delegado Daniel Marcelino, as investigações começaram há cerca de cinco meses, quando uma das vítimas, moradora de Goianésia, na região central do estado, procurou a polícia para denunciá-lo. A partir daí, a polícia começou a investigá-lo e descobriu que ele agia da seguinte forma:

  • Selecionava residências habitadas por pessoas idosas;
  • No local, se passava por técnico de manutenção em antenas e oferecia este serviço às vítimas;
  • Em seguida, obtinha o consentimento do idoso para entrar na casa;
  • Pedia que o idoso fosse para fora da residência e segurasse o fio da antena, sob pretexto de que realizaria a manutenção da frequência do aparelho dentro da casa;
  • Aproveitando-se deste descuido, pegava o cartão bancário do idoso e efetuava, também, a troca deste cartão com o de outra vítima que, anteriormente, também já havia sido enganada. Desta forma, ele aumentava o tempo para que os idosos percebessem o furto;
  • Na sequência, inventava que iria buscar uma peça, aparelho ou falar com outro funcionário da empresa e saía do local com o cartão furtado. A polícia apurou ainda que, como as vítimas eram idosos, a maioria guardava as senhas junto com os cartões, o que facilitou a ação do investigado.
  • Com a senha das vítimas, o autor passava o cartão em lojas, efetuava transferências e realizava PIX para conta de outras vítimas. Em seguida, sacava pessoalmente o dinheiro em caixas eletrônicos.

 

Moto e carro apreendido com suspeito de furtar idosos em Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Moto e carro apreendido com suspeito de furtar idosos em Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil

A investigação apurou ainda que, em outras ocasiões, Adefânio chegou a se passar por agente de saúde e vendedor de energia solar. Nestas situações, segundo o delegado, ele entrava na casa, solicitava dados de cartões bancários, sob o pretexto de realizar cadastros para órgãos ou empresas, e também efetuava as trocas dos cartões com as respectivas senhas.

“Ainda estamos verificando com as novas diligências a extensão do dano. Já apuramos que ele causou um prejuízo de ao menos R$ 200 mil. Muitas das vítimas eram aposentadas e ele sacava o valor inteiro das contas”, afirmou o delegado.

 

Cartões e celulares apreendidos com suspeito de furtar idoso em Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Cartões e celulares apreendidos com suspeito de furtar idoso em Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Conforme o apurado, os crimes foram cometidos nas seguintes cidades: Goianésia, São Francisco, Jaraguá, Nova Veneza, Edéia, Silvânia, Abadiânia, Alexânia, Santa Cruz, Novo Gama, Nova Glória, Piracanjuba, Santa Isabel, Palmelo, Petrolina, Rialma, Anápolis, Águas Lindas de Goiás, Aparecida de Goiânia, São Miguel do Passo Quatro, Senador Canedo, Gameleira, Luziânia, Santo Antônio do Descoberto, Itaguari, Acreúna, Quirinópolis, Planaltina e Uruana.

O preso e os materiais apreendidos foram encaminhados ao Grupo Especial de Repressão a Crimes Patrimoniais de Goianésia (Gepatri). Após ser ouvido, o investigado será recolhido ao presídio local, onde ficará à disposição do Poder Judiciário. Ele irá responder pelo crime de furto mediante fraude.

Ainda de acordo com o delegado, as investigações continuam com o objetivo de identificar outras vítimas, motivo pelo qual a imagem do preso foi divulgada pela corporação.

Por Millena Barbosa, g1 Goiás

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.