Notícias

Dois vendedores do Shopping Popular são presos por receptação de notebook de jovem morta pelo ex-namorado em MT, diz polícia

Publicado em 18 de junho de 2021

Estudante de odontologia Giovani Eduardo Aniceto de Araújo, de 24 anos, foi preso no mesmo local no dia anterior. Ele é suspeito de matar Dannile Cris Dantas Barbosa, de 19 anos, a facadas.

Dennila Cris Dantas Barbosa, de 19 anos, foi morta a facadas após terminar o namordo — Foto: Divulgação

Dennila Cris Dantas Barbosa, de 19 anos, foi morta a facadas após terminar o namordo — Foto: Divulgação

A polícia prendeu nesta sexta-feira (18) dois vendedores do Shopping Popular de Cuiabá por receptação. Eles estavam com um notebook de Dennila Cris Dantas Barbosa, de 19 anos, que foi assassinada na quarta-feira (16), em Araputanga (MT).

De acordo com a Polícia Civil, o ex-namorado dela, preso por suspeita do assassinato dela, vendeu o computador para esses vendedores.

Os dois foram detidos por policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá.

Em nota, o Shopping Popular informou que um dos presos é parente de lojistas e o outro é funcionário de uma das lojas. “Estamos aguardando a apuração dos fatos pela autoridade policial para adotarmos as medidas administrativas previstas no Estatuto Social e Regimento Interno da Associação dos Camelôs do Shopping Popular”, diz.

O shopping diz ter disponibilizado as imagens do circuito interno de monitoramento à policia e que está à disposição das autoridades para contribuir com a investigação.

Giovani Eduardo Aniceto de Araújo, de 24 anos, foi preso em Cuiabá um dia após o crime — Foto: Divulgação

Giovani Eduardo Aniceto de Araújo, de 24 anos, foi preso em Cuiabá um dia após o crime — Foto: Divulgação

O estudante de odontologia Giovani Eduardo Aniceto de Araújo, de 24 anos, também foi preso no mesmo local, nessa quinta-feira, suspeito de matar a ex-namorada, por não aceitar o fim do relacionamento.

Segundo a polícia, ele foi para Cuiabá depois de cometer o crime, em Araputanga. Ele mora em Fortaleza e pretendia retornar para lá, quando foi preso.

O crime

 

O delegado Caio Albuquerque, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o crime, disse que Giovani cometeu o crime depois de ver mensagens no computador de Dennila.

Giovani aproveitou para olhar as conversas dela, na internet, em um momento em que ela tinha ido ao banheiro e viu mensagens trocadas entre ela e um amigo.

“Ele viu conversas com uma pessoa que seria amigo dela. Essas conversas tinham revelações de intimidades e nisso ele disse que ficou cego de raiva e, quando ela voltou do banheiro, ele se posicionou atrás dela e começou a dar facadas no pescoço dela”, explicou o delegado.

A vítima começou a namorar o suspeito do crime pela internet. Ela foi até a casa dele, em Fortaleza, há alguns meses e passou alguns dias lá.

Essa foi a única vez que eles se viram pessoalmente como namorados.

Segundo o delegado, foi o então namorado quem custeou as passagens para ela ir até a casa dele.

No entanto, o namoro havia terminado há aproximadamente três semanas. Ela decidiu terminar o relacionamento à distância e ele, sem concordar com o fim, viajou a Mato Grosso para saber o que tinha acontecido e até tentar reatar o namoro. O suspeito chegou na cidade no final de semana.

Ele chegou ao município no início da semana, mas, conforme depoimento prestado à polícia, ainda não a procurou de imediato e “buscou coragem para encontrá-la”, até que na quarta-feira foi até a casa de Dennila, durante a madrugada.

Giovani tinha comprado a faca usada no crime, na segunda-feira (14), em um supermercado de Araputanga.

Dennila foi assassinada com facadas no pescoço e no braço. Depois do crime, segundo a Polícia Civil, o rapaz tentou simular que ela havia cometido suicídio. Ele deixou a faca na mão direita dela.

Após o crime, ele foi até o banheiro da casa e tentou se lavar, mas deixou o local com as roupas sujas de sangue e seguiu para o hotel onde estava hospedado, com um nome falso, desde a entrada no local.

No hotel, ele procurou um mototáxi e depois seguiu para a cidade vizinha de São José dos Quatro Marcos, e de lá pegou um ônibus para Cuiabá.

A mãe da jovem a encontrou morta, chamou a polícia e em seguida o caso começou a ser investigado.

Policiais localizaram Giovani num momento em que ele estava fazendo compras no Shopping Popular, em Cuiabá, nessa quinta-feira.

“Ele estava comprando meias, tênis, com o intuito de fugir e se desfazer de qualquer peça que tivesse resquícios de sangue”, contou o delegado.

Ele foi preso e autuado por feminicídio e depois foi encaminhado para Araputanga, onde ocorreu o crime.

Por G1 MT

Baixe o APP da Rádio 93

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.