Notícias

Associação de PMs consegue psiquiatra para tratar jornalista

Publicado em 14 de outubro de 2021

Nildes Souza foi presa duas vezes em três dias; ela ficou conhecida após jogar cerveja em um PM

Reprodução

Momento em que Nildes Souza joga cerveja no rosto de um policial militar

 

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso ofereceu ajuda psiquiatra à jornalista Nildes Souza, que foi presa duas vezes por policiais militares desde a terça-feira (13).

A primeira prisão aconteceu depois de Nildes jogar cerveja em um policial militar na Praça Popular, em Cuiabá.

O presidente da Associação, sargento Laudicério Machado, informou que entrou em contato com a irmã da jornalista na manhã desta quinta-feira (14) para tratar sobre o assunto.

“Após ver o vídeo dela no Zero KM novamente, consegui o telefone da irmã dela e de forma cautelosa entrei em contato e pedi autorização para a Associação ajudá-la nesse momento”, disse.

“Entendemos que não é apenas questão judicial e sim médica. Tanto que ela precisa estar primeiro bem psicologicamente para responder pelos atos na Justiça. A irmã ficou muito agradecida pela oferta de ajuda”, acrescentou.

Segundo Machado, o psiquiatra Gleisson Libardi já se prontificou a contribuir com o caso.

 

Cabo Laudicério

O presidente da Associação, sargento Laudicério Machado

 

O presidente acionou o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e aguarda  a localização da jornalista  para que seja encaminhada imediatamente ao psiquiatra.

“A Associação defende o seu policial associado, mas também ela é feita de membros policiais que defendem a sociedade  e nesse momento ela também precisa de ajuda”, afirmou.

A Associação entrou com duas ações contra a jornalista na área criminal e cível por conta do episódio de agressão ao policial.

 

Confusões

A primeira confusão da jornalista ocorreu na madrugada de terça-feira (12), no Bar Cerveja de Garrafa, na Praça Popular, em Cuiabá.

De acordo com o boletim de ocorrência, os militares realizavam o policiamento no local quando a mulher, que estava bebendo, jogou uma garrafa de cerveja contra a viatura.

Os policiais desceram do carro para conversar com ela que, por sua vez, começou a desacatar os militares dizendo: “Seus policiais de merda. Meu pai é policial federal e vocês vão ver”.

Em seguida, segundo o boletim de ocorrência, a suspeita jogou um copo de cerveja na cara de um dos PMs. Toda a cena foi filmada por populares.

A jornalista foi presa em flagrante e foi liberada na quarta-feira (13) após passar por audiência de custódia. A Justiça impôs uso de tornozeleira eletrônica por 90 dias,  pagamento de fiança de R$ 1,1 mil em duas parcelas, proibição de frequentar bares e boates e comparecer aos Alcoólicos Anônimos por seis meses.

No mesmo dia a noite, ela voltou a ser presa na Praça Popular após ao descumprir a ordem da Justiça.

Logo depois, entretanto, ela foi solta novamente e se envolvou em uma briga, na madrugada de quinta-feira (14), na região do Zero Km, em Várzea Grande.

THAIZA ASSUNÇÃO, MÍDIA NEWS

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.