Notícias

Alan Porto diz que 0,009% de alunos e professores foram contaminados: “não há que se falar em surto”

Publicado em 17 de agosto de 2021

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Alan Porto diz que 0,009% de alunos e professores foram contaminados: “não há que se falar em surto”
O secretário de Estado de Educação Alan Porto participou nesta terça-feira (17) de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para falar sobre o retorno às aulas na rede pública. Questionado sobre os 64 profissionais e 39 estudantes infectados pela Covid-19, Porto explicou que o número corresponde a 0,009% do total, e que “não há que se falar em surto”.

“A gente voltou às nossas atividades no dia 3, com todas as recomendações, lembrando que foi um retorno de forma gradativa, nós nos preparamos para esse momento, o governo do Estado mandou todos os recursos para as escolas, toda a orientação, isso não aconteceu de um dia para o outro, a gente vem tomando decisões, orientação, formação na rede desde o ano passado”, argumentou o secretário.

“Até o momento, isso atualizado às 18h na data de ontem, temos 64 casos de profissionais da educação que confirmaram, e temos 39 estudantes, então um pouco mais de 100 pessoas. Levando em consideração as 728 escolas, levando em consideração 393 mil estudantes, mais de 27 mil profissionais da educação, em média temos 1 caso nas 79 escolas que foi detectado. Hoje o estado de Mato Grosso tem 79 escolas que foi detectado profissionais da educação ou alunos confirmados. Então não há que se falar em surto, as mesmas pessoas que lá atrás falaram que o Estado ia fechar 300 escolas, fake news, as mesmas pessoas agora estão falando em surto. O conceito da palavra surto é quando você tem um aumento exponencial num determinado local, não é o caso. Temos 0,009%, 99,99% está tendo suas atividades dentro do programado, cumprindo todos os protocolos de biossegurança e tomando as decisões em casos que realmente foi detectado a Covid”, completou.

Segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), o número de escolas públicas estaduais com casos de Covid-19 subiu de 22 para 30, conforme dados apurados até a manhã de sexta-feira (13). O presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira, insiste no fato da Secretaria de Educação (Seduc) se manter omissa, diante da diversidade de ações adotadas. O que constata a completa confusão das interpretações dada ao amontoado de orientações repassadas para as escolas. “Essa situação poderá levar ao caos, diante da gravidade dessa doença que não tem mais idade para se manifestar, inclusive com casos fatais entre jovens aumentando”, afirmou o presidente.

O secretário, por sua vez, explica que há um protocolo de isolamento em casos confirmados e suspeitos da doença, e que tudo é feito com responsabilidade. “Ontem foi divulgado pelo Governo do Estado [que] os leitos de UTI estão ocupados em 63%, existe um ambiente controlado, como estamos falando todas as atividades econômicas estão funcionando, o comércio está funcionando, shopping está funcionando, bares… a gente viu no final de semana aí os bares todos lotados, pessoal nem estava respeitando distanciamento, uso da máscara, o ambiente escolar é um ambiente seguro, então porque ficar questionando a educação? É só a educação que não consegue cumprir protocolo de biossegurança? Está errado. A educação não tem que ser tratada em segundo plano. Ela tem que ser tratada em primeiro plano, e a educação neste governo é prioridade”, defendeu.

Isabela Mercuri, Max Aguiar/ Olhar Direto

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.