Notícias

Segurança do Uruguai é demitido após ser preso acusado de assédio sexual em hotel

Publicado em 21 de junho de 2021

O segurança da seleção uruguaia, Harold Ferreira Roldos Ferreira, de 45 anos, foi demitido da Federação Uruguaia de Futebol após ser preso na madrugada desta segunda (21). Ele foi detido dentro de um quarto do hotel Deville, em Cuiabá, suspeito de importunação e assédio sexual cometido contra uma mulher que atua como segurança da Conmebol, responsável pela organização da Copa América.

Reprodução

Hotel deville prime em cuiab�

“A Federação Uruguaia de Futebol informa que hoje demitiu um dirigente e integrante da delegação na Copa América do Brasil, por ter sido denunciada por comportamento supostamente repudiável e inaceitável. De volta a Montevidéu, será iniciado formalmente o processo administrativo de investigação correspondente, respeitadas as garantias do devido processo”, esclareceu a seleção em nota.

A seleção do Uruguai está em Cuiabá desde o final de semana e enfrenta, nesta segunda (21), o Chile, a partir das 18h (de Brasília), na Arena Pantanal.

Conforme informações do Boletim de Ocorrência, a Polícia Militar estava na base em frente ao hotel e foi acionada para o caso por volta da 1h pela gerência do hotel. Lá dentro, militares encontraram o chefe de segurança e a vítima, de 46 anos, que narrou ter sido vítima de assédio e importunação sexual.

Segundo ela, às 22h estava no 2º andar do hotel quando o suspeito, que é uruguaio e responsável pela segurança da delegação, passou por ela e a cumprimentou.

Em depoimento, o suspeito negou o ato de assédio e informou que estava apenas conversando sobre família. Disse ainda que usava o celular para traduzir a conversa e que a questionou sobre o quanto ganhava. Também disse que deu 10 dólares para a mulher, que recusou. Em seguida, afirmou que deu mais 10 dólares.

Em nota, a Conmebol se manifestou sobre o caso e afirmou que está atenta às resoluções emanadas das autoridades judiciais ou administrativas que tratem da reclamação e acatará pontualmente o que estas estabelecerem

Veja o comunicado na íntegra:

Diante de uma denúncia de assédio sexual contra um integrante de uma delegação que participa da CONMEBOL Copa América, a Confederação Sul-Americana de Futebol afirma o seguinte:

– A CONMEBOL está atenta às resoluções emanadas das autoridades judiciais ou administrativas que tratem da reclamação e acatará pontualmente o que estas estabelecerem.

-ConMEBOL rejeita e condena veementemente qualquer forma de assédio sexual.

-A CONMEBOL continuará trabalhando por um futebol livre de discriminação, violência e assédio e a favor do esporte como instrumento de desenvolvimento e crescimento das pessoas e das sociedades.

Por Douglas Santos, RD News

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.