Notícias

Seduc descarta nova paralisação nas escolas: “Educação é prioridade”

Publicado em 11 de agosto de 2021

Desde a retomada das aulas, pelo menos 11 escolas registraram casos de Covid-19

Mayke Toscano/Secom-MT

O secretário Alan Porto, que negou nova paralisação na Educação

 

O secretário de Educação do Estado, Alan Porto, descartou uma nova paralisação nas atividades escolares caso a curva dos casos e mortes por Covid-19 volte a crescer no Estado.

Desde a retomada das aulas na modalidade híbrida na rede públia, no dia 3 de agosto, pelo menos 11 escolas registraram casos de Covid em alunos e funcionários. Os números são do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep).

O secretário afirmou que, recentemente, a Assembleia Legislativa aprovou uma lei que coloca a Educação como atividade essencial no Estado. Por isso, não há de se falar em fechamento das atividades escolares.

“Se a gente tiver que discutir algum segmento para paralisar, não será a Educação, não é escola, nem a sala de aula. Educação é prioridade, conforme a lei aprovada na Assembleia Legislativa”, afirmou.

 

Se a gente tiver que discutir algum segmento que tem que paralisar, não será a Educação, não é escola, nem a sala de aula

“A gente está voltando de forma gradativa. É importante dizer que voltamos efetivamente as aulas nesta semana. Em casos de aumento da curva pandêmica, e ter a necessidade de aumentar o isolamento, e decidir o fechamento de alguma atividade, na lei, fala que você tem que funcionar com as atividades presenciais até 30%”, emendou.

A declaração foi dada nesta quarta-feira (11) durante o lançamento do programa Mais MT Muxirum e Alfabetiza MT, que tem como objetivo de erradicar o analfabetismo, entre pessoas com mais de 15 anos, em 5 anos.

Realidades diferentes

O secretário ainda apontou que a Pasta continuará monitorando os casos e orientando a comunidade escolar a seguir os protocolos de biossegurança nos prédios.

“O nosso Estado é muito grande e a densidade demográfica é diferente. Temos praticamente 70% das cidades com pouco mais de 10 mil habitantes. Não dá para comparar a realidade de Cuiabá e Várzea Grande com outros municípios menores”, disse.

“Continuaremos monitorando, acompanhando, e orientando todos os profissionais da Educação no cumprimento dos protocolos de biossegurança e como proceder no plano de contingência”, afirmou.

Informações divergentes

Apesar do Sintep indicar que 11 unidades escolares notificaram casos da Covid-19, a Seduc aponta para duas unidades. Segundo Alan Porto, pode ser apenas uma divergência de dados no sistema, devido ao “lapso temporal”.

Ele explicou que os casos são acompanhados pela Pasta via Indica SUS, sistema instalados nas escolas em que os professores e profissionais da Educação inserem as informações sobre casos positivos.

“Nossa equipe acompanha e ele tem como base essas informações oficiais. Pode ser que tenha mais alguma escola? Pode, mas essa informação até o momento não chegou de forma oficial à Secretaria de Estado de Educação. Pode ser um lapso temporal. A informação do dia anterior, não é a informação de hoje”, afirmou.

CÍNTIA BORGES E LISLAINE DOS ANJOS
MÍDIA NEWS

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.