Notícias

MP pede bloqueio de bens de Sérgio Moro por suposta sonegação

Publicado em 04 de fevereiro de 2022

O crime teria acontecido no recebimento de R$ 3,6 milhões da consultoria Alvarez & Marsal

Reprodução

O subprocurador-geral Lucas Furtado pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) o bloqueio de bens do ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) por suposta sonegação de impostos em relação aos pagamentos que o ex-ministro da Justiça recebeu da consultoria Alvarez & Marsal.

O pedido aconteceu na tarde desta sexta-feira (4).

Por conta desse novo pedido, o subprocurador mudou a sua própria decisão e voltou a defender que o TCU investigue os ganhos de Moro, de R$ 3,6 milhões, pagos pela consultoria.

Além de ter faltado clareza dos documentos que comprovavam declaração de saída definitiva do Brasil; avaliação da existência de visto americano para trabalho; averiguação da tributação pelo lucro real da empresa; e suposta utilização da “pejotização” de Moro para reduzir a tributação incidente sobre o trabalho.

O ex-ministro, diante das acusações, revelou seus rendimentos. Ele afirmou que ganhava US$ 45 mil por mês no emprego que teve após a saída do Ministério da Justiça.

Tribuna do Norte

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.