Notícias

Deputado de MT quebra promessa; vota contra piso da enfermagem e gera revolta

Publicado em 05 de maio de 2022

José Medeiros chegou a gravar vídeo com representantes da categoria prometendo voto favorável

Apesar de ter prometido publicamente que votaria favorável ao piso salarial nacional dos enfermeiros de R$ 4,5 mil, o deputado federal de Mato Grosso, José Medeiros (PL), votou contrário ao projeto (PL 2564) e tem sido alvo de duras críticas por parte da categoria que se sente traída pelo parlamentar. A votação foi realizada na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (4) com aprovação da proposta por 449 votos.

Da bancada federal de Mato Grosso, composta por oito parlamentares, somente cinco participaram da votação com Medeiros sendo o único a votar contra a proposta de valorização da enfermagem. Estavam ausentes na votação Nelson Barbudo (PL), Neri Geller (PP) e Juarez Costa (MDB). Os deputados que votaram favoráveis são Dr Leonardo (Republicanos), Emanuel Pinheiro Neto (MDB), Valtenir Pereira (MDB) e Professora Rosa Neide (PT).

Contrários ao projeto foram registrados 12 votos. Além dos oito parlamentares que formam a bancada no Novo na Câmara Federal, outros quatro deputados de diferentes partidos votaram contrários, sendo eles: José Medeiros, Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Ricardo Barros (PP-PR) e Kim Kataguiri (União- SP).

Bolsonarista intransigente, José Medeiros apoia o presidente Jair Bolsonaro em toda e qualquer situação. E, na votação do piso nacional dos profissionais da enfermagem isso não foi diferente, pois a bancada governista orientou voto conário ao projeto, embora tal orientação não tenha surtido resultado. Oriundo do funcionalismo público, – pois é policial rodoviário federal aposentado -, e representante de Rondonópolis (212 km de Cuiabá), Medeiros acompanhou o voto de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, e do líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros.

O texto aprovado pelos deputados segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro. De autoria do Senador Fabiano Contarato (PT-ES), o projeto de lei também define pisos salariais para técnicos de enfermagem (R$ 3.325), auxiliares de enfermagem (R$ 2.375) e parteiras (R$ 2.375).

CRÍTICAS

Logo após a votação, com a confirmação do voto contrário de José Medeiros, profissionais da enfermagem de Mato Grosso passaram a compartilhar em grupos de WhatsApp fotografias e um vídeo com discurso de José Medeiros em uma reunião com outros políticos, na qual ele reconhecia a importância dos profissionais da enfermagem e se comprometia a votar a favor do projeto.

“Vou postar um vídeo aqui deste canalha mentiroso falando que iria nos apoiar e agora foi lá e virou as costas para a nossa categoria”, publicou uma profissional da enfermagem em um grupo compartilhando fotos de uma reunião e vídeo onde José Medeiros garantia que votaria a favor do projeto.

Na reunião também participaram o vereador por Cuiabá, Diego Guimarães (Cidadania) e membros do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso (Sinpen-MT) e uma comissão criada para debater melhorias para a categoria no Estado.

“Estou aqui com o pessoal que está lutando pela redução da carga horária e também pela reestruturação do piso salarial. A gente sabe que é uma causa que vem há muito tempo eles lutando, já passou no Senado e agora vai para a Câmara. Estou aqui declarando apoio a essa luta, já há muito tempo era para ter sido pautado, estou aqui e quero que todo pessoal de Mato Grosso e  do Brasil saiba, sei que é uma luta justa e contem com meu voto”, diz Medeiros na gravação. Contudo, ele votou contra a proposta.

WELINGTON SABINO, FOLHA MAX

 


Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.