Notícias

Atletas do parajiu-jitsu de Barra do Garças visitam base da Polícia Militar de Aragarças

Publicado em 08 de julho de 2021

Em Barra do Garças desde fevereiro de 2017, a escola é uma referência mundial na valorização da capacidade física e mental de pessoas.

Reprodução

image

Atletas do parajiu-jitsu da Gracie Barra, de Barra do Garças, foram recepcionados na manhã de quarta-feira (7), pelos policiais da 4° Companhia da Polícia Militar da cidade de Aragarças (GO).

A visita que faz parte do trabalho de Inclusão e socialização, desenvolvido junto aos diferentes portadores de deficiência, coincidiu com o aniversário do comandante da Unidade Policial, Major Antônio Ghiovani, praticante do jiu-jitsu.

A Gracie Barra é uma comunidade mundial de instrutores, estudantes e atletas, atualmente com 934 escolas, distribuídas em todo o planeta.

Em Barra do Garças desde fevereiro de 2017, a escola é uma referência mundial na valorização da capacidade física e mental de pessoas que viviam em uma sociedade complexa, cheia de barreiras e paradigmas, e que por meio do jiu-jitsu, estão descobrindo seus próprios valores, e tendo acesso a direitos como qualquer cidadão.

“Tudo começou quando decidi viver feliz com uma perna só. Eu vi que a felicidade era o hábito Samurai da luta, que me proporciona resiliência, superação da mente, e prepara o meu espírito para nunca desistir”, declarou Elcirley Luz Silva, precursor do parajiu-jitsu em Barra do Garças (MT).

O padrão de ensinamento e modelo de sustentabilidade desenvolvido no município, está sendo replicado em diferentes lugares do planeta, como Emirados Árabes, Tokio, Los Angeles e Londres, fazendo com que pessoas que se auto declaravam moribundas, renascessem e se transformassem em estrelas do tatame.

Segundo Elcirley, a população com deficiência física, cognitiva ou sensitiva das três cidades (Barra do Garças, Pontal do Araguaia e Aragarças), somam 23%. No Brasil e no mundo, o percentual é ainda maior. “É um mundo invisível, porém gigante, somos um grande exército”, disse.

Foi a vontade de valorizar, pelo esporte, esse significativo número de pessoas, desenvolvendo padrões específicos que pudessem destacar a capacidade individual de cada um, independente de suas limitações, que determinaram a criação da modalidade esportiva que mais acolhe pessoas com deficiência: o parajiu-jitsu.

O projeto que nasceu em Barra do Garças, foi abraçado pela Gracie Barra, maior rede de escolas do mundo, e atualmente é responsável pelos cursos anuais de padronização da modalidade.

“Estamos no Comitê Paraolímpico, logo teremos paratletas medalhistas. O Brasil é o segundo país em número de participantes em competições internacionais, ficando atrás apenas do Japão, em números de paratletas ativos, e ver a emoção desses homens e mulheres, crianças, jovens e adultos, e saber que o trabalho incansável desenvolvido aqui em Barra do Garças, está sendo responsável pelo resgate de tantas vidas, nos dá a força que precisamos para continuar transformando anônimos em grandes estrelas, que brilharão mundo a fora”, afirmou Elcirley.

Na visita a base policial, os paratletas conheceram um pouco mais sobre a rotina diária do policiamento preventivo, e se confraternizaram com um café da manhã.

Por Rede da Notícia

Baixe o APP da Rádio 102.1

Agora você pode nos ouvir em qualquer lugar com acesso à internet. Disponibilizamos para você, além do áudio, informações de contato e acesso às nossas páginas na internet.